1 1 1 1 1

Estudos genéticos com populações de abelhas produtoras de mel
Tributo a J. A. Guerreiro

abelhas2O habitat das abelhas Apis mellifera é bastante diversificado e acabou dando origem a diversas subespécies ou raças de abelhas com diferentes características.

A diferenciação das raças não é um processo fácil, sendo realizado por pessoas especializadas através de medidas morfológicas ou análise de ADN.

Neste texto dá-se a conhecer um projeto de investigação que recorre a avançadas tecnologias moleculares e a recursos genómicos num estudo de larga escala acerca da complexidade dos padrões de diversidade genética da abelha melífera.

A Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, através do sector apícola da Divisão de Fruticultura, presta colaboração na amostragem dos apiários da Ilha da Madeira no âmbito dos estudos genéticos com populações de abelhas conduzidos pela Universidade de Múrcia, em parceria com o Centro de Investigação do Instituto Politécnico de Bragança.

 

abelhas1Grande parte dos estudos genéticos incide nas populações de abelha ibérica que habitam o lado espanhol da Península Ibérica. Porém, apesar de Portugal representar uma pequena parcela da área total de distribuição da abelha ibérica, as particularidades, tanto ambientais como da própria atividade apícola, justificam a caracterização das populações atlânticas.

A recente evidência do declínio das abelhas é uma preocupação global. Este facto é impulsionado por fatores como as alterações climáticas, fragmentação e degradação de habitats, pesticidas e introdução de espécies invasoras e doenças.

Estudos temporais da diversidade genética são relevantes, pois permitem a deteção de alterações genéticas que poderão constituir ameaças às populações de abelhas. Neste estudo, é analisado o ADN mitocondrial das populações de abelhas que habitam os arquipélagos da Macaronésia e comparado com dados anteriores.

Ao identificar os padrões e processos da diversidade e os componentes do genoma da abelha ibérica, este projeto irá fornecer informação de base para programas de melhoramento genético e de gestão e conservação a longo prazo.

Conservar a diversidade genética da abelha ibérica é garantir a matéria-prima da apicultura que permite à abelha responder e adaptar-se ao crescente número de inimigos e consequentemente a sustentabilidade do sector apícola.

 

Berta Alves
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Comentários  

# josé augusto barrisco 20-02-2015 17:09
entre 1983 e 1988 trabalhei num programa de desenvolvimento da apicultura na Região autónoma dos Açores. Foram introduzidas e reproduzidas em grande quantidade abelhas de raça caucasiana de origem francesa.Á data actual as abelhas apresentam (aparentemente)as caracteristicas das originais. Nós,apicultores da Ilha Graciosa estamos muito interessados em saber qual a caracterização genética das nossas abelhas. Os recursos melíferos são muito limitados e queriamos orientar a produção para criação de abrlhas-mestras e multiplicação de enxames. Grato p/ atenção JA
Responder | Responder com citação | Citar
# DRADR 24-02-2015 09:21
Bom dia.

A Direção Regional de Agricultura, através da Divisão de Fruticultura, tem colaborado apenas na amostragem dos apiários da Ilha da Madeira.
Os estudos genéticos com aquelas populações de abelhas são realizados pelo Centro de Investigação do Instituto Politécnico de Bragança em parceria com a Universidade de Múrcia.
No entanto, os artigos publicados referem que os resultados das análises do DNA mitocondrial nos Açores é muito heterogénea. Ainda no que concerne à Ilha Graciosa, parece existir uma maior frequência de abelhas pertencentes a uma linhagem típica do leste centro da Europa.

Com os melhores cumprimentos,
a Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural.
Responder | Responder com citação | Citar

Comentar

Código de segurança
Atualizar